Pequim carioca

MARCELLO DIAS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ninho do Pássaro é aqui. Mas a multidão não estava. A plateia que aplaudiu as grandes conquista das meninas do revezamento 4×100 metros contava com alguns que estiveram lá em 2008. Eu era um deles. Um privilegiado que já foi a 10 edições dos Jogos Olímpicos, viu e viveu muitas histórias, muitas conquistas e algumas tristezas e decepções também.

Como devolver a um atleta seu maior momento de glória que foi tomado injustamente pelo maior mal do esporte, o doping? Como reparar economicamente prejuízos com contratos de imagem, prêmios, patrocínios?

Ontem, a premiação da prova mais lenta dos 4×100 metros rasos no atletismo feminino, já que levou quase nove anos, mostrou do que atletas são feitos. Fibra, garra, força, união. Lucimar Moura, Thaíssa Presti, Rosemar Coelho e Rosângela Santos foram rápidas na pista. Limpas, leais, honestas e levaram nove longos anos para receber seu prêmio. Quando John Kennedy, então presidente dos Estados Unidos, no início dos anos 60 fez um discurso dizendo que esperava que os americanos pudessem mandar o homem à lua e trazê-lo em segurança de volta à Terra até o fim da década, isso aconteceu. Em 1969, Neil Armstrong foi o primeiro a pisar em solo lunar. O doping infelizmente é muito mais rápido que isso.

O Prêmio Brasil Olímpico foi palco dessa premiação e homenageou a todos os grandes atletas brasileiros de 2016. Isaquias Queiroz foi o atleta do ano. O canoísta conquistou duas pratas e um bronze nos Jogos Olímpicos do Rio. Além do prêmio, teve outra grande conquista. No evento, fez o pedido de casamento à sua namorada Laina Guimarães, que, muito emocionada, claro que aceitou.

No feminino, Rafaela Silva levou o prêmio e também venceu na votação da galera o troféu de “Atleta da Torcida”, justíssimo reconhecimento e um grande ippon em tudo que passou após Londres 2012.

O troféu Adhemar Ferreira da Silva foi para Bernardinho, que falou sobre a importância do esporte na formação e na educação. Mais que atletas, o esporte forma pessoas, indivíduos que compartilham valores e ideais. Emocionante e verdadeiro.

Podemos ir à lua, ou não. Boas escolhas normalmente dão grandes resultados com muito trabalho e persistência. Já o atalho e a esperteza…

Deixe uma resposta