Prêmio Brasil Olímpico

Pawel Kopscynski/Reuters
Pawel Kopscynski/Reuters

Mesmo para quem conquistou ouro, prata ou bronze nos Jogos do Rio em 2016, essa quarta-feira é um dia de emoção. Frio na barriga como toda competição importante, mas momento de glamour no esporte. É dia de Prêmio Brasil Olímpico.

O maior evento do esporte nacional fora das quadras, piscinas e pistas celebra o melhor do nosso esporte e, depois da realização dos Jogos Olímpicos no Rio em 2016, para os atletas há muito que celebrar.

Num dia em que a seleção brasileira de futebol celebra sua classificação antecipada para a Copa do Mundo da Rússia em 2018 vale lembrar que há um ano já éramos penta na Copa, mas ainda não havíamos visto o ouro olímpico que só veio no ano passado quando Neymar & Cia. deram um show e conquistaram, justamente contra a Alemanha, o único título que o futebol brasileiro não tinha.

Entre as mulheres há uma disputa supermedalhada para a conquista do prêmio. Nada menos que Rafaela Silva do judô, a campeã olímpica que saiu do drama de Londres para a conquista do Rio e do mundo. Martine Grael e Kahena Kunze do iatismo que são sempre favoritas em tudo que participam e Poliana Okimoto da natação. Depois da hipotermia em Londres o calor de sua terra e suas águas trouxeram primeira medalha olímpica das nadadoras brasileiras. Nada menos que dois ouros e um bronze lutando pelo Prêmio Brasil Olímpico. Glória e um enorme valor das atletas brasileiras.

No masculino a briga é entre Izaquias Queiroz que levou uma prata e dois bronzes na canoagem, Thiago Braz, ouro no salto com vara e Serginho do ouro do vôlei, simplesmente o melhor libero de todos os tempos e que após a final no Maracanãzinho fez sua despedida de competições da seleção. Grandes feitos realizados por atletas excepcionais.

Justiça será feita às meninas do 4×100 que vão receber as medalhas de bronze dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008. Lucimar de Moura, Rosemar Coelho, Thaíssa Presti e Rosângela Santos subirão ao pódio quase nove anos depois para receber suas medalhas, conquistadas por conta do doping da equipe russa.

Finalizando, a torcida pode também eleger seus melhores e a disputa entre a preferência da galera é entre Alisson e Bruno Schmidt ouro no vôlei de praia, Izaquias, Martine e Kahena, Serginho, Thiago Braz, Robson Conceição o primeiro ouro do boxe olímpico brasileiro, Diego Hyppólito e Arhtur Nory, da ginastica artística que foram prata e bronze no solo. Noite de grandes estrelas, medalhas e conquistas do esporte brasileiro!

Deixe uma resposta